Menu fechado

Ministério da Agricultura adia para junho reconhecimento de zona livre de febre aftosa

Print Friendly, PDF & Email

O Governo do Maranhão foi informado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) do adiamento da solenidade de assinatura da portaria ministerial de reconhecimento nacional de zona livre de febre aftosa. O evento, que estava agendada para o próximo dia 20 de maio, em São Luís, deve acontecer na primeira quinzena de junho.

A assessoria técnica do ministério justificou que o adiamento da assinatura da portaria – que beneficiará os estados do Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte, Ceará, Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Pará -, foi necessário devido a mudança na agenda do ministro Antônio Andrade, que terá que participar, em Paris, de 26 a 31 deste mês, da 81ª Sessão Geral da Assembleia Mundial de Delegados da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), entidade que concede o reconhecimento internacional de zona livre de febre aftosa.

“A Assembleia da OIE exigirá articulações comerciais prévias, que vão ocupar o ministro no período em que ele estaria aqui no Maranhão”, explicou o diretor geral da Agência de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged/MA), Fernando Lima.

Além disso, a equipe técnica do Mapa avaliou que seria melhor formalizar o reconhecimento nacional de zona livre após o período oficial da 1ª etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa, em vigor até o próximo dia 31 de maio.

Campanha  –  A 1ª etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa começou no dia 1º de maio e vai até o último dia do mês. Nesse período, os criadores devem adquirir as vacinas em revendas autorizadas e imunizar seu rebanho para depois apresentar a nota fiscal de compra das vacinas em um escritório da Aged.

O período de comprovação da imunização do rebanho vai até o dia 15 de junho.