Menu fechado

Iniciada a vacinação assistida contra a febre aftosa

Print Friendly, PDF & Email

A Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED), já iniciou a vacinação assistida contra a febre aftosa em áreas quilombolas e indígenas. A segunda etapa da campanha de vacinação está acontecendo em todo Maranhão, desde o dia de 1° e vai até 30 de novembro.

O diretor geral da AGED, Fernando Lima informou que serão distribuídas 28 mil doses da vacina para estas áreas, doadas pelo Sistema Federação da Agricultura e Pecuária do Maranhão e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (FAEMA/SENAR) e Fundo de Desenvolvimento da Pecuária do Maranhão (Fundepec). “Essas vacinas são doadas para garantirmos o índice de vacinação nessas áreas especiais, que possuem a exploração da pecuária de subsistência”, explicou.

A vacinação assistida é realizada pelos proprietários dos animais sob o acompanhamento de fiscais de defesa animal e assistentes agropecuários da agência estadual, em áreas consideradas de risco. Segundo normas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), a vacinação assistida pode ocorrer com objetivo de orientação, assistência a comunidades carentes, áreas de risco sanitário ou de fiscalização, e possibilita a AGED certificar a aplicação da vacina na totalidade dos animais existentes em determinada propriedade rural.

O Governo do Estado está realizando a vacinação assistida em propriedades de São Luís, Imperatriz, Pedreiras, São João dos Patos, Viana, Itapecuru, Rosário, Barra do Corda, Zé Doca, Codó, Santa Inês, Bacabal, Chapadinha e Pinheiro.

De acordo com dados oficiais, existem no estado 83.037 propriedades rurais com a criação de bovinos e bubalinos, das quais cerca de 52% são cadastradas como de pequenos produtores.

Vacinação e Comprovação

Além de vacinar, o criador deve comprovar a vacinação em um dos escritórios da AGED, apresentando a nota fiscal da compra da vacina. O prazo para comprovação encerra-se no dia 15 de dezembro. O criador que não vacinar seus animais não poderá solicitar a Guia de Trânsito de Animal (GTA), documento emitido e exigido pela AGED para que possa circular com seus animais fora da propriedade.

 

Fontes: Faema/Aged