Menu fechado

Programa SENAR/FAEMA em Campo realiza seminários na região dos Lençóis Maranhenses

Print Friendly, PDF & Email

Os municípios de Barreirinhas e Humberto de Campos, na Microrregião Lençóis Maranhenses, sediaram neste fim de semana, os seminários do Programa Senar/Faema em Campo e reuniões de entrega de certificados dos cursos e treinamentos do Senar.

O seminário realizado em Humberto de Campos teve como objetivo a mobilização dos empresários e comerciantes para maiores investimentos no campo e envolveu profissionais de diferentes áreas, produtores e trabalhadores rurais.

As palestras técnicas institucionais foram realizadas por técnicos do Senar, Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) e autoridades locais, com abordagens sobre o agronegócio, fruticultura e olericultura irrigada, agricultura familiar e o Polo Hortifrutícola regional, com destaque para as espécies nativas como ata, abacaxi e bacuri.

O professor e pesquisador da UEMA, Hamilton Almeida anunciou a realização em 2016, em São Luís, do XXIV Congresso Brasileiro de Fruticultura. “Todos têm a ganhar com a realização desse Congresso, considerando-se mais uma grande oportunidade de desenvolvimento científico e tecnológico no estado”, afirmou.

Participaram do evento o superintendente do Senar-Ma, Luiz Figueiredo; o professor da UEMA, Hamilton Almeida (membro da Sociedade Brasileira de Fruticultura); o ex-prefeito de Humberto de Campos, Bernardo Ramos; instrutores do Senar; e lideranças rurais e comunitárias locais.

Barreirinhas – Tendo à frente o vice-presidente do sistema Faema/Senar, Raimundo Coelho, dezenas de pequenos produtores e trabalhadores rurais dos povoados, Carrapatal, Frecheira, Rampa, Sangue e Salgadinho, foram agraciados com certificados de participação dos cursos e treinamentos do Senar, ocorridos no segundo semestre de 2014. “Esses encontros com pequenos produtores e trabalhadores rurais criam  novas oportunidades de expansão dos programas especiais e reforçam a difusão das ações de capacitação profissional rural e de ATER que o Senar desenvolve no  Maranhão”, explicou Raimundo Coelho.