Menu fechado

Produtores Rurais de Santa Inês e região participam do lançamento do PRADAM

Print Friendly, PDF & Email

Princípios e tecnologias de produção sustentável foram apresentados durante seminário

 

12_7c
Lideranças sindicais e  palestrantes como superintendente do Senar, Luiz Figueiredo após seminário.

O Seminário sobre o Projeto de Recuperação de Áreas Degradadas na Amazônia (PRADAM) foi realizado no Instituto Federal do Maranhão (IFMA), em Santa Inês (MA), neste sábado (9/7). O evento contou com a presença de, aproximadamente, 110 produtores rurais tanto da cidade quanto de municípios vizinhos. Participaram do evento inédito no estado presidentes e comitivas dos Sindicatos dos Produtores Rurais de Zé Doca, Centro do Guilherme, Pindaré-Mirim, Santa Inês, Santa Luzia, Vitorino Freire e Monção.

Figueiredo faz abertura do seminário apresentando projeto PRADAM.
Figueiredo faz abertura do seminário apresentando projeto PRADAM.

Durante o encontro foram apresentados os princípios e tecnologias de produção sustentável no bioma amazônico preconizadas pelo PRADAM – uma  parceria entre o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR Brasil), a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e a Embrapa.

Professor Luciano Muniz discorre sobre Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF).
Professor Luciano Muniz discorre sobre Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF).

As tecnologias – Recuperação de Pastagens Degradadas, Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF), Plantio Direto, Florestas Plantadas e Sistemas Agroflorestais (SAFs) – foram explicadas pelo superintendente do SENAR/MA, Luiz Figueiredo, que mostrou a necessidade de sua aplicação na região. O técnico e pesquisador da Embrapa, Joaquim Bezerra Costa, que tratou do tema degradação de pastagens, e o professor e pesquisador da UEMA, Luciano Muniz, que falou sobre Integração Lavoura Pecuária e Floresta (ILPF), também consideraram o projeto fundamental para o desenvolvimento da região.

Luiz Figueiredo observou que o PRADAM tem características semelhantes ao Projeto ABC Cerrado, mas com o diferencial de que este cobre apenas o cerrado maranhense e deixa 102 municípios do bioma amazônico no estado sem cobertura, entre eles Santa Inês e Açailândia. Ele ressaltou que é nessa região que está concentrada grande parte do rebanho do estado e onde existem elevados índices de áreas degradadas que precisam de recuperação para que possam ser reaproveitadas sem a incorporação de novas áreas ao processo produtivo.

Equipe de organização do evento em Santa Inês.
Equipe de organização do evento em Santa Inês.

“O nosso produtor precisa ter conhecimento dessas tecnologias, dos programas e projetos que podem apoiá-los  no desenvolvimento de suas atividades e criar ambiência para que ele possa, no final, colocar no bolso uma soma maior de dinheiro como retorno”, destaca Luiz Figueiredo.

Outro que aposta nas novas tecnologias para a produção rural é o Gerente de Assistência Técnica e Gerencial, (ATeG), Epitácio Rocha. Ele disse que a iniciativa é de   uma importância significativa para o produtor rural do bioma Amazônia do Maranhão. Frisou ainda que  o seminário tem o intuito de sensibilizar produtores para a utilização dessas tecnologias e obter maior lucratividade em suas áreas de produção.

Gerente da ATeG, Epitácio Rocha, durante seminário em Santa Inês.
Gerente da ATeG, Epitácio Rocha, durante seminário em Santa Inês.

“O projeto visa a implantação pelo produtor do projeto em sua propriedade e hoje iniciou com este encontro que foi um sucesso, e o Senar vai trabalhar tanto a parte de assistência técnica quanto a de capacitação, para que os produtores comecem a adequar as suas propriedades a estas novas tecnologias”, frisou ele após o seminário.

Projeto recebe elogios

Para o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Santa Inês, Antônio Santiago, a implantação das tecnologias de produção sustentável é a realização de um sonho. “Chegou o momento de utilizarmos as tecnologias que tanto precisávamos aqui na nossa região, que possui terras férteis, mas que se encontram em processo de degradação. Com o PRADAM poderemos alcançar uma produção muito melhor”, declara.

Na visão da produtora rural e presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Centro do Guilherme, Edilânia Neco, o projeto veio complementar o desenvolvimento do sistema agropecuário e fortalecer o produtor no entendimento de como proceder na exploração de sua propriedade. “Sabemos das dificuldades em conhecer as tecnologias como as disseminadas pelo PRADAM e sabemos que o SENAR tem feito um excelente trabalho em relação a isso, trazendo programas, projetos e assistência técnica para que o produtor tenha uma maior lucratividade”.

Também participaram do seminário representantes de entidades parceiras de órgãos ligados ao Governo do Estado como a Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp) e a Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged). O evento contou ainda com a presença de integrantes da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), além de estudantes, professores do IFMA, profissionais da assistência técnica e lideranças locais.