Menu fechado

Produtores de Timon garantem melhoria de renda com Assistência Técnica do Senar

Print Friendly, PDF & Email
Equipe do Senar e produtores na colheita de maracujá

Para coroar o sucesso do programa AgroNordeste, o superintendente do Senar, Luiz Figueiredo e o gerente de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG), Epitácio Rocha, visitaram esta semana o povoado de Buritizinho em Timon, para conhecer as transformações que vêm acontecendo nas propriedades dos produtores rurais assistidos pelo programa NCR Ciclo II, que tem à frente naquele município, a engenheira agrônoma Selma Coelho. E ainda, acertar com a Secretaria de Agricultura de Timon o lançamento do Programa
AgroNordeste.

Toda a equipe do Senar conheceu o bom caminhamento do parreiral do produtor baiano, Arivaldo Almeida Paiva. Um trabalho pioneiro, em uma cidade de clima quente, iniciado em agosto do ano passado (2019), com mil plantas de videira em uma área experimental de 1 hectare. A estimativa é que sejam colhidos nos próximos meses, de 30 a 40 mil quilos de uva de mesa, que serão vendidos em Timon, Teresina e região.

Assim como ele, sua esposa também está muito feliz. A assistência técnica e
gerencial do Senar possibilitou a melhoria do cultivo de suas frutíferas. Ana Costa trabalha atualmente com maracujá. Conta que tem melhorado bastante as práticas culturais com a presença do Senar em sua área de plantio. Ela registrou que na Bahia, de onde é originária, cultivava tomate e cebola, mas chegando aqui, mudou para maracujá, fruto de origem tropical, com grande procura na região.

O casal e os filhos optaram por produzir separadamente. Seus filhos, além de ajuda-los na produção da uva e maracujá, também plantam melancia, goiaba, banana, mamão e feijão. Com o gerenciamento de sua produção pela agrônoma do Senar, a família garante que ficou muito mais fácil controlar os gastos e receitas, e que, agora, já podem ver o produto que tem melhorado mais, e como tem se comportado o rendimento das vendas.

Jovens produtores colhem melancia.

“A gente está muito contente com o trabalho da Selma. Antes não anotávamos as nossas vendas. Antes não tinha quase produção. Os resultados eram poucos. Agora, temos mais retorno e com essa melhoria estamos vendendo a nossa produção para a Ceasa de Teresina e de Timon. Com a presença do Senar, aumentamos os nossos resultados e agora dá para nos mantermos”, disse a produtora Ana Costa.

Atividade Produtiva

De acordo com o superintendente do Senar, Luiz Figueiredo, o programa AgroNordeste tem como principal objetivo criar um ambiente favorável para inserir esta produção cada vez mais no mercado, tornando esses produtores bem mais competitivos.

Ele ressalta que o trabalho de assistência técnica do Senar, tem um marco muito importante pois trabalha tanto a atividade produtiva, melhorando os níveis de produção e de produtividade, quanto o gerenciamento da propriedade para fazer com que o produtor possa auferir, no final das contas, uma renda bem maior.

“Acreditamos que essa família passe a progredir cada vez mais. Esperamos que com a implantação do programa, agora, de maneira mais consubstanciada, possamos ter resultados cada vez mais palpáveis e significativos”, disse o gestor do Senar.

Selma Coelho ressaltou que, com o trabalho muito atuante da ATeG do SENAR na comunidade Buritizinho, percebe-se um grau muito maior de desenvolvimento dos produtores assistidos, com a parte nutricional das variedades frutíferas cultivadas buscando alcançar maior produtividade.

“Aqui em Timon, eu estou há um ano e a gente iniciou esse trabalho com a perspectiva de atender produtores que já alcançam o mercado. Agradeço ao Senar pela confiança e aos produtores por toda essa convivência salutar, de respeito e confiança. E mesmo com a pandemia não paramos, e a gente pode acompanhar cada um, na batalha, na luta do dia a dia para tirar o sustento”, salientou a técnica.

Técnicos e produtores no plantio de goiaba.