Menu fechado

Diagnóstico subsidiará os Planos Estaduais de Agricultura de Baixo Carbono

Print Friendly, PDF & Email

DSC06061Consultores do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) se reuniram com representantes do grupo gestor do Programa de Agricultura de Baixo Carbono (ABC) no Maranhão, coordenado pela Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Sagrima), na sede da Federação da Agricultura e Pecuária do Maranhão (Faema). O objetivo foi levantar dados sobre o volume de áreas degradadas na região de abrangência da Amazônia Legal, a fim de subsidiar um diagnóstico produzido pelo Mapa e que servirá de base para a elaboração dos planos estaduais de ABC nos estados abrangidos pelo Bioma Amazônia.

O diagnóstico apontará soluções e metodologia para uma política nacional para recuperação de áreas degradadas na região, no âmbito da atuação do Programa de Produção e Recuperação de Áreas Degradadas do Bioma Amazônia (PRADAm).

De acordo com o consultor do Mapa, Luiz César, o foco é trabalhar com informações dos Grupos Gestores Estaduais do Plano ABC para analisar a área produtiva degradada na Amazônia que pode ser beneficiada pelo projeto. Além disso, os consultores vão preparar uma série de ações de capacitação sobre as tecnologias previstas pelo plano ABC, incluindo questões como acesso ao crédito, acompanhamento das ações, assistência técnica e extensão rural.

DSC06057“Tudo isso está atrelado ao cumprimento das ações que estão sendo sugeridas no Plano Nacional do ABC. Por isso, estamos conhecendo as ações previstas em cada grupo gestor estadual, sua realidade e limitações, para identificar onde podemos interagir e ajudar”.  Luiz César afirmou também  que os diagnósticos devem ser entregues aos estados no início do segundo semestre deste ano.

Maranhão – O Plano Estadual ABC está sendo elaborado por um grupo gestor formado pelas secretarias de Estado do Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar (Sedes), do Meio Ambiente e Recursos Naturais (Sema), Sagrima, Universidade Estadual do Maranhão (Uema), Instituto Federal e Tecnológico do Maranhão (Ifma), Faema, bancos da Amazônia, BNB  e Mapa.

Para o secretário adjunto da Sagrima e vice-presidente da Faema, Raimundo Coelho, o crescente aumento dos financiamentos agrícolas voltados para a diminuição da emissão de gases de efeito estufa no Maranhão tem despertado o interesse dos produtores pela adoção de técnicas e manejos de agricultura de baixo carbono. O Banco do Brasil financiou em 2011, R$ 4,5 milhões em projetos de ABC. No ano passado, o volume de financiamentos alcançou R$ 18,7 milhões e neste ano já foram  aprovados projetos que somam R$ 3,4 milhões, totalizando R$ 26,6 milhões, correspondentes a 142 contratos nos últimos dois anos.

Amazônia Legal – O Bioma Amazônia abrange nove estados do Norte e Nordeste: Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Rondônia, Pará, Roraima, Tocantins e Maranhão. Corresponde a 59% do território nacional. O Maranhão, que tem parte de seu território no Bioma Amazônia, concluirá a elaboração do Plano Estadual de ABC no segundo semestre deste ano.