Raimundo Coelho é reconduzido à presidência da Federação da Agricultura no Maranhão

Gestores do sistema Faema/Senar e presidentes de sindicatos rurais.

O engenheiro agrônomo foi confirmado com a aprovação de quase 100% dos sindicatos rurais aptos a votarem Realizada nesta sexta-feira,27, Assembleia Geral da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Maranhão – FAEMA, que colocou em pauta o pleito para a escolha da nova diretoria da entidade para o período de 2024 a 2027.

O atual presidente, Raimundo Coelho de Sousa, concorreu em chapa única e foi reconduzido ao cargo após receber votos de mais de 2/3 dos 62 sindicatos de produtores rurais considerados aptos a participarem do processo eleitoral. A FAEMA é uma entidade ligada à Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA) e gestora do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) no estado.

Congrega 69 sindicatos rurais espalhados pelo estado, e tem como missão principal defender os interesses dos produtores rurais e propor políticas públicas que visem o desenvolvimento sustentável do setor produtivo no Maranhão. Engenheiro agrônomo, natural de Fortuna, no sertão maranhense, Raimundo Coelho prepara-se agora para assumir a terceira gestão de seu segundo período a frente da FAEMA.

Presidente de Vitorino Freire, Paulo Maranhão durante votação.

“Nos últimos anos conquistamos avanços importantes, mas ainda há uma caminhada a percorrer”, garante o presidente eleito, que já foi Secretário Estadual. Adjunto de Agricultura, Pecuária e Pesca (2011 a 2014), presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae-MA (2015 a 2018), e membro de dezenas de comissões nacionais em favor do agro, além de integrar o Conselho Fiscal Nacional de Agricultura. Entre as prioridades da próxima gestão Coelho destaca a continuidade do esforço em fortalecer o sistema sindical do estado e articular novas ações e parceiras com outras federações e com a CNA, em busca de segurança jurídica para as atividades rurais.

“É importante que consigamos manter o nosso direito à propriedade, que tenhamos a segurança de que nosso trabalho e investimentos não sofrerão ameaças externas além das variações da própria natureza. E isso passa pela legislação vigente e atuação dos órgãos jurídicos, legislativos e executivos”, explica o presidente. E complementa: “Nossa missão é lutar, constantemente, por políticas públicas que facilitem o desenvolvimento do agronegócio no estado do Maranhão; sempre levando ideias para o governo do estado na elaboração de seus planos e projetos para o setor agropecuário – um papel que já exercemos e estamos prontos para fazer acontecer cada vez mais ações em benefício produtor rural”.

O presidente ainda destacou como prioridades o aperfeiçoamento das políticas de crédito rural, tornando-as mais acessíveis; e de questões fundiárias e ambientais, buscando maior agilidade na solução de problemas e práticas mais sustentáveis ambiental e economicamente. Beneficiários diretos das ações da Federação, os sindicatos rurais têm se multiplicado e fortalecido o setor produtivo local, especialmente nos últimos anos.

Para se ter uma ideia, o número de sindicatos regularizados nos últimos quatro anos saltou quase 50% em 2023. “Os produtores tem entendido a importância de se organizarem para garantir a defesa coletiva de seus interesses, e os sindicatos tem se profissionalizado e buscado oferecer mais serviços, que aumentem sua relevância entre teus filiados. Esse movimento é positivo para todo o estado, e tem o apoio o incentivo permanente da Federação”, ressalta Raimundo Coelho.

Peritoro e Codo, ladeiam o presidente Raimundo Coelho.

Ele lembra que os sindicatos rurais regularizados são beneficiados com ações não apenas do sistema FAEMA / SENAR como de outros órgãos e entidades que se dedicam a desenvolver o setor produtivo. “Nós levamos conhecimento via promoção, formação profissional rural e assistência técnica gerencial rural. Os sindicatos são os nossos parceiros e sediam nossos cursos, palestras, oficinas, consultorias e muito mais”, explica.

Além de anunciar as prioridades da próxima gestão, Raimundo Coelho fez questão de lembrar alguns marcos importantes da gestão vigente, que finda em dezembro de 2023. “Tivemos uma grande ampliação dos polos da rede de ensino técnico formal, estamos consolidando cada vez mais a Faculdade CNA no estado, e contribuímos para reativação e regularização de dezenas de sindicatos rurais, ou que ainda não existiam, ou que precisavam de apoio para se regularizarem”, comemora o presidente. Outra grande conquista citada por Coelho é a consolidação da assistência técnica e gerencial no estado.

“Contratamos 300 técnicos que prestam consultoria, cada um, a vinte e cinco propriedades de uma mesma cadeia produtiva. Além disso, ampliamos o número de cadeias produtivas que apoiamos. Tudo isso tem tornado as lavouras maranhenses mais eficientes, tecnológicas e lucrativas, promovendo uma transformação social e econômica no Maranhão, que nasce no campo e tem reflexo positivo em toda a nossa economia”, avalia.

Nova diretoria – Além da presidência ocupada por Raimundo Coelho, a nova diretoria da FAEMA, no período de 2024 a 2027, é formada por Carlos Antônio Feitosa (1º vice-presidente), Paulo Veríssimo da Costa (2º vice-presidente), Emerson de Macedo Galvão (1º diretor secretário), Ramon Inácio Garcia Arraes (2º diretor secretário), Lourival da Costa Santos (1º diretor tesoureiro) e Onézimo Garreto de Souza (2º diretor tesoureiro).

Na suplência da diretoria estão os presidentes sindicais Benedito Valter de Oliveira Moura, Paulo Lira dos Santos, Olivério Alves de Melo, José de Ribamar Cunha Filho, Francisco Fonseca Santos, Ana Patrícia Santos Araújo e Raimundo de Simas Lima.

A assembleia geral da FAEMA também elegeu o Conselho Fiscal da próxima gestão, que será formado por Rosimeire de Freitas Barros, Luiz Coelho Júnior, Reyssane dos Santos Abreu, Marcelo Duarte Henriques e Keyssyane Nathália Soeiro, como membros efetivos; e os suplentes Márcio George Gomes da Silva, Sebastião Coelho de Sousa, Allan Richard Vilarins Meireles, Iedo Oliveira Barros e Geovany Carvalho Noleto e Silva. A nova diretoria eleita inicia o mandato a partir de 02 de janeiro de 2024.