Artigos Osteoporose: prevenção deve começar na juventude!

É comum associar a osteoporose à população idosa, já que a doença, caracterizada pela perda de massa óssea e deterioração esquelética, é mais comum na faixa etária acima dos 50 anos. Nesse grupo, uma em cada três mulheres sofre dessa doença. Entre os homens, a proporção é de um em cada cinco. Embora os jovens sejam bem menos afetados pela osteoporose, a prevenção deve começar na juventude, bem mais cedo do que a maioria das pessoas pensa.

Até os 20 anos de idade, o esqueleto está se estabelecendo, com formação da massa óssea. Depois dessa idade, a estrutura começa a enfraquecer e, a partir dos 40 anos, inicia-se a faixa de maior risco de osteoporose.

Apesar disso, 70% das brasileiras, entre 16 e 44 anos, acreditam que a prevenção pode ser iniciada apenas adulta, como revelou a pesquisa Firme e Forte Osteoporose, divulgada pela Abrasso (Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo).

A prevenção da osteoporose é simples, devendo ser feita com o consumo de alimentos ricos em cálcio e vitamina D. Mas, apesar de sua simplicidade, esta recomendação é raramente seguida de forma correta. Por exemplo, cerca de 60% das mulheres acham que tomar apenas um copo de leite por dia é suficiente para prevenir a osteoporose. Mas, esta quantidade está bem abaixo do valor recomendado pela OMS (Organização Mundial da Saúde).

A recomendação é que se consuma entre 800 e 1200mg de cálcio por dia, o que representa quatro porções de leite (cada copo de 250ml tem 268mg de cálcio). De acordo com a pesquisa da Abrasso, apenas 20% das mulheres com 45 anos consomem essa quantidade de leite por dia. A situação é ainda mais crítica entre aquelas com menos de 45 anos, nas quais a porcentagem não passa de 10%.

Alimentos ricos em cálcio

Apesar de ser possível obter o cálcio necessário por meio de suplementação, os alimentos são a melhor opção para combater a osteoporose.

Quando se leva em consideração a biodisponibilidade, ou seja, quanto do cálcio ingerido é absorvido, os lácteos são a melhor fonte natural do mineral. Isso, porque as verduras verde escuras, como o brócolis, por exemplo, possuem substâncias, como os fitatos e taninos, que reduzem a absorção do cálcio.

Além disso, quando o assunto é custo, o leite é uma opção muito mais econômica, já que seria necessário consumir uma quantidade muito grande de verduras para obter os mesmos níveis de cálcio fornecidos pelo leite, como apresentado no quadro a seguir.

Quadro 1 – Comparativo das quantidades necessárias de leite, em relação a alguns tipos de verduras, para suprir as necessidades diárias de cálcio de um adulto.

Fontes:

Firme e Forte Osteoporose: http://www.sejafirmeforte.org.br/2012/10/703/

Dr. Drauzio Varella:  https://drauziovarella.com.br/alimentacao/por-que-ainda-indicamos-o-leite/

*Flávia Fontes é Médica Veterinária, DSc. Ciência Animal Revista Leite Integral#bebamaisleite