Menu fechado

Visitas técnicas no interior da Ilha encerram Congresso Brasileiro de Fruticultura  

Print Friendly, PDF & Email

Um grupo de pesquisadores, estudantes e técnicos agrícolas que visitarão pomares e campos experimentais de produção de frutas nativas situados no interior da Ilha de São Luís. As visitas técnicas integram a programação do XXI Congresso Brasileiro de Fruticultura, que se encerra nesta sexta-feira (21).

19_10bOs congressistas foram divididos em dois grupos. O primeiro fará visita técnica aos povoados Anajatíua e Cassaco, na região do Quebra-Pote, e o segundo, à comunidade do Maranhão.

O pesquisador Eugênio Araújo, da Embrapa Cocais, disse que a ideia é proporcionar aos participantes do congresso conhecer sistemas de produção de frutíferas diversas e experimentos que estão sendo feitos neste estado, além de contactar com com produtores dessas localidades.

“Nessas visitas técnicas os estudantes, técnicos e pesquisadores vão conhecerem experiência bem sucedidas no campo da fruticultura e algumas pesquisa que vem sendo feitas nesse segmento da produção, em localidades da zona rural de São Luís.”

Produção de frutas – No polo de produção de Anajatíua, o grupo vai  conhecer o sistema de produção de mudas e cultivo de mamão e a produção de frutíferas da região.

No povoado Cassaco, estudantes, técnicos e pesquisadores vão visitar pomares de mamão, do açaí BRS Pará que a Embrapa está desenvolvendo neste estado (o chamado “açaí de terra firme”) e cultivo de limão.

Na mesma comunidade eles visitarão a  estufas de produção de mudas, a Casa do Mel e a Casa das Oficinas de Produção de estercos orgânicos. haverá, também visita ao sistema de bombeamento de irrigação – do açude para os projetos de fruticultura.

Já a visita técnica ao Maracanã vai abranger a área de extrativismo de açaí (juçara), o projeto de colheita e despolpa de açaí, visita ao Rancho Cristo Rei (Fazendinha) e Parque Estadual da Juçara.

Certificação – Nesta quinta-feira (20), representantes do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA) participaram de uma mesa-redonda sobre a “Avaliação da conformidade voluntária da Produção Integrada”  e o selo “Brasil Certificado”.

O debate será coordenado por Antonio Humberto Simão. Estão previstas duas palestras: Avanços e perspectivas da PIF (Produção Integrada de Frutas) em fruteiras nativas, com Rosilene Ferreira Souto, e “Desenvolvimento de Normas Técnicas Específicas para fruteiras nativas”, com Gisele Ventura Grilli, todos do MAPA.

Agroindustrialização – Outra mesa-redonda do congresso teve como tema  “Frutas na Indústria”. O debate foi coordenado da pesquisadora Márcia Vizzoto, da Embrapa Clima Temperado (Rio Grande do Sul).

Dentre dessa temática, a pesquisadora Lourdes Maria Corrêa Cabral, da Embrapa Agroindústria de Alimentos (Rio de Janeiro) falou a “Agroindustrialização na fruticultura” e o pesquisador Gustavo Adolfo Saavedra Pinto, da Embrapa Agroindústria Tropical (Ceará) falará sobre sob “Fermentados e Destilados em Frutas”.

Agroecologia – “Agroecologia e Fruticultura” foi o enfoque da mesa-redonda coordenada pelo professor Altamiro de Lima Ferraz Junior, da Universidade Estadual do Maranhão (Uema).

O tema foi defendido em três palestras: “Intensificação ecológica da fruticultura – sistemas de produção ecologicamente intensivos de produção de coco e citros”, pelo pesquisador Inácio de barros, da Embrapa Tabuleiros Costeiros (Sergipe); “Fruteiras Tropicais em sistemas agroflorestais”, pelo pesquisador Marcelo Ribeiro Romano, da Embrapa Mandioca e Fruticultura (Bahia), e “Fruticultura Orgânica – marco legal e certificações” com Richard Charity, da Fazenda Toca Orgânicos/São Paulo.