Menu fechado

‘Útero é vida’ do Senar intensifica atendimento a mulheres no mês de outubro

Print Friendly, PDF & Email

 

Centenas de mulheres rurais participaram fazendo o exame papanicolau

 

Equipe de atendimento à mulheres da comunidade Caiçara em Araioses.
Equipe de atendimento à mulheres da comunidade Caiçara em Araioses.

O programa ‘Útero é vida’ do Senar atendeu no mês de outubro, cerca de quinhentas mulheres em diversos municípios maranhenses. A ação foi intensificada em função do mês de outubro ser dedicado à campanha nacional conhecida como Outubro Rosa cujo objetivo  é  estimular a participação da população feminina ao controle,  especialmente ao câncer de mama, mas também de  diversas outras manifestações da doença, na mulher.

Programa ‘Útero é vida’ é destaque nos municípios maranhenses.
Programa ‘Útero é vida’ é destaque nos municípios maranhenses.

O outubro rosa é celebrado anualmente com o objetivo de compartilhar informações e promover a conscientização sobre a importância da detecção precoce da doença.  Com isso, o Senar juntamente com algumas prefeituras parceiras intensificou a aplicação do programa ‘Útero é Vida’, levando em consideração que grande parte da população feminina rural nunca teve acesso ao exame.

De acordo com estudos recentes sobre o assunto, o câncer do colo do útero é o terceiro tumor mais frequente na população feminina, atrás do câncer de mama e do colorretal, e a quarta causa de morte de mulheres por câncer no Brasil. Por isso, a preocupação de levar esta ação de saúde a um  número cada vez maior  de localidades.

Mulheres

Para a  coordenadora dos cursos de Formação Profissional Rural, (FPR) e de Promoção Social, (PS),  do Senar – Yolanda Gomes,  o maior número de mulheres com vida sexualmente ativa  examinadas no período, foi registrado no município de Monção, (120), Urbano Santos, (118), Araioses, (66), Nova Iorque, (60) e Loreto, (55).

As edições do programa nos referidos municípios foram acompanhadas por   outras importantes atividades, tais como: corte de cabelo, limpeza de pele, palestras, consultas médicas, vacinação, aplicação de teste de glicemia, entrega do kit de higiene e limpeza, (xampu, condicionador, creme de pentear e sabonete), e em alguns casos, aplicação de flúor aos filhos das mães atendidas.

“Os cuidados, e  a atenção  dedicados à mulher produtora rural, aliados à informações passadas em palestras, visam assegurar a autoestima delas que por vezes nunca consultaram um médico ou se submeteram ao exame papanicolau, essencial para a detecção da doença”, destacou Yolanda.

Yolanda revela que este mês, (novembro), o programa ‘Útero é Vida’ deverá passar pelos municípios de Rosário, Icatu e São Vicente de Férrer.