Menu fechado

Sistema Faema/Senar participa do Festival da Cachaça em São Luís

Print Friendly, PDF & Email
Atendimento ao público durante o Festival de Cachaça

Em uma parceria firmada entre o sistema Faema/Senar, Sindicato das Indústrias de Bebida, Refrigerantes, Água Mineral e Aguardente (SindiBebidas), Ecobio (Instituto Social para Sustentabilidade da Vida) e outros parceiros, foi realizado no período de 28 a 30 de julho, o Festival Maranhense da Cachaça, Cultura e Sabores.

O evento teve por objetivo elevar a capacidade de gestão organizacional da cadeia produtiva da cachaça no Estado do Maranhão, bem como fortalecer o segmento com foco no mercado consumidor regional, nacional e internacional.

Jorge Fortes, durante a abertura do Festival

Realizado no Multicenter Sebrae, o Festival além de apresentar as marcas de aguardentes maranhenses, também ofereceu o Espaço Inovação Tecnológica, Negócio e Comercialização, que abrigou conferências e mesas redondas, além de rodadas de negócios e exposição de produtos e serviços. No local, as instituições financeiras Banco do Brasil (BB) e Banco do Nordeste Brasileiro (BNB), apresentaram orientações e programas de linhas de crédito destinadas aos empreendedores.

O sistema Faema/Senar participou com a análise de um conjunto de fatores de acidez, monitorado por Sílvia Almeida (química industrial e instrutora do Senar). Um dos principais estandes do Festival, por apoio ao projeto desde a sua concepção – no espaço, foi exposta a mostra da bebida destilada Baixão do Cosmo, atendida pelo programa Agronordeste, por meio da Assistência Técnica e Gerencial (ATEG) do Senar.

Anderson Galdino, abre o evento na presença de convidados

As visitas ao local foram constantes e registraram centenas de pessoas procurando mais informações acerca das ações promovidas no setor do agronegócio pelo sistema Faema/Senar. Uma equipe formada por técnicos e consultores, fizeram as honras da casa, na recepção dos visitantes.

O Maranhão é destaque nacional na produção de cachaça. A cachaça artesanal maranhense figura no ranking dos produtos em evidência no cenário do agronegócio, despertando a atenção do mercado nacional e internacional como bebida gourmet.

Expositores

Entre os principais expositores presentes, estavam as marcas maranhenses com registro junto ao Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento): Baixão do Cosmo, Vale do Riachão, Jacobina, Capotira, Guaaja Tiquira, Buriti, Baroneza, Reserva do Zito, Guarnicê, Mestre Cana e Engenho Pindaré.

Jovens visitam  o estande do sistema Faema/Senar

Além da cachaça, outros produtos ligados à agroindústria artesanal maranhense também estiveram presentes, como por exemplo: gastronômica, artesanato, multimarcas, garrafas, tonéis, alambiques, rotuladores, aromatizadores, geleias, pimentas,  queijos e demais marcas representadas pelo Governo do Estado (Seinc). Chegamos a quase cem marcas no evento.

De acordo com os organizadores, é um evento do agronegócio da cachaça, de sua cadeia produtiva, que reúne produtores, empresas de equipamentos, insumos e serviços, entidades representativas do setor, entre outros. Perfeito para aprimorar a gestão do negócio, conhecer novas práticas e melhorar as habilidades empreendedoras do Maranhão.

Grande movimento no Estande do sistema Faema/Senar

Ainda de acordo com os organizadores, atualmente, o Maranhão conta com 450 alambiques que produzem quase 3 milhões de litros de aguardente por ano. Mesmo com uma produção significativa, menos de 20 marcas são registradas. Para eles, a iniciativa teve a intenção de chamar a atenção dos produtores, para a necessidade da formalização, além de fortalecer a produção para distribuição no mercado interno e externo.

“Este é mais um movimento com a cara do Maranhão”, considera o presidente do Sindibebidas-MA, Jorge Fortes. “A nossa intenção foi realmente trazer para o Festival, além dos produtores de alambique, de barris, de garrafas e tampas que estão registrados, vários integrantes da cadeia produtiva do segmento. O Festival foi uma grande oportunidade para mostrar à sociedade que temos produtos de altíssima qualidade capazes de conquistar o mercado internacional nesse segmento”, disse o produtor.

Consultor do Senar recebe visitantes

Para o empresário e organizador Anderson Galdino, a maior satisfação é ver a felicidade dos produtores em poder participar de um evento que reconheça a marca maranhense. O evento veio para que o público tivesse a oportunidade de conhecer as nossas marcas e os serviços que giram em torno dessas marcas.

“Estamos muito felizes por este momento. É um marco histórico da cachaça maranhense”, disse ele ressaltando que o primeiro Festival já nasceu grande e veio incentivando os produtores a se formalizarem para que nas próximas edições, possamos tê-los novamente. “O Senar é uma instituição que desde o início esteve presente sempre nos apoiando, desde a sua concepção até a realização”, destacou.

Equipe com visitantes nos dias de evento

O superintendente do Senar Luiz Figueiredo afirma que: “O festival da cachaça é mais um instrumento importante para mostrar que instituições como o Senar, estão sempre presentes em apoio ao nosso produtor. Marca, de forma incisiva, o trabalho da instituição apoiando a agroindústria artesanal maranhense”, disse ele.