Menu fechado

Senar leva cursos e palestras à 61ª edição a Expoema

Print Friendly, PDF & Email
Minioficina de cachaça ministrada pela instrutora do Senar, Silvia Almeida.

Produtores rurais de São Luís e estudantes dos cursos de Zootecnia e Agronomia da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) e Ciências Agrárias do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia (IFMA), participaram dos cursos ofertados pelo Senar, na 61ª Exposição Agropecuária do Estado do Maranhão (Expoema).

Com profissionais capacitados, o Senar levou nessa edição, os cursos de Operação e Manutenção em Sistema de Irrigação por Aspersão, Derivados do Leite, Silagem, Doma Racional em Equinos e Muares (Rédeas) e Bovinocultura de Corte e Manejo Sanitário.

Os cursos aconteceram em espaços distribuídos no Parque Independência, onde aconteceu a Expoema. Também no local, o sistema Faema/Senar manteve estande com vistas a receber os produtores rurais, visitantes e convidados, onde pôde ser encontrada, a Oficina de Cachaça Artesanal, ministrada pela instrutora do Senar, Silvia Almeida, que explica o processo de produção da bebida de maneira detalhada.

Encerramento do curso Derivados do Leite, na Expoema

O estande funcionou em três turnos (manhã, tarde e noite) em coparticipação com o Sebrae, que também expõe cachaças (aguardentes), artesanais produzidas no Maranhão.

O espaço bem funcional, teve como referência, a preservação da identidade da instituição, mostrando aos visitantes produtos resultantes da atuação da entidade voltada ao fortalecimento da produção rural. O Senar  por meio da qualificação do homem do campo, com atendimento ao público, levou  informações pertinentes aos seus programas e ações por meio de folders, cartilhas e outras ferramentas e equipe especializada.

Expoema

O vice-governador, Carlos Brandão, o presidente do sistema Faema/Senar, Raimundo Coelho e outras autoridades, durante o hasteamento da bandeira nacional.

Esse ano, a Expoema priorizou em sua programação, conhecimento por intermédio de inserção de tecnologia, cursos, palestras, leilões, rodeios, apresentação de atrações culturais e diversas outras atividades. A intenção dos organizadores foi   produzir conhecimento – em parceria com instituições de ensino e outras como o Senar e o Sebrae, além da prestação de serviços à comunidade.

O vice Governador Carlos Brandão, destacou na abertura o foco da Expoema desse ano, com o fortalecimento do setor primário com a ministração de palestras e a realização de leilões, dentre outros.

“É um momento para troca de experiência. É uma exposição que é feita por várias mãos e não dá para fazermos um evento desse porte somente com uma instituição financeira, temos que nos dar as mãos. E não tenho dúvida de que é um grande momento de ajudar o setor agropecuário, para que ele se fortaleça cada vez mais”, destacou Brandão.

Encerramento dos cursos promovidos pelo Senar, na 61ª Expoema.

O presidente da Associação dos Criadores do Estado do Maranhão (Ascem), Ivaldeci Mendonça, disse que a exposição tem sido um trabalho feito por várias mãos. “E todos. Desde o início, estiveram muito empenhados em que ele se realizasse”, frisou, agradecido, enquanto completou:

“Estamos fazendo uma Expoema voltada para o criador, voltada para quem planta, para quem cria, voltada para o conhecimento, para a tecnologia, para a inovação, para a genética, ou seja, o que busca-se na exposição moderna, é inovação, é conhecimento e a inclusão”, disse ele, enquanto agradecia a participação do sistema Faema/Senar. “O sistema Faema/Senar sempre foi parceiro e o Raimundo Coelho é um líder do agronegócio e essa parceria é muito salutar

Para o presidente do sistema Faema/Senar, Raimundo Coelho, a participação dessa entidade na exposição agropecuária é de suma importância, já que ela representa os produtores rurais do estado do Maranhão.

Raimundo Coelho recebe autoridades no estande do Senar.

“A gente sabe que a inovação tecnológica não para, todo dia muda, e é preciso esse conhecimento chegue até os produtores rurais. Por isso, a gente aproveita esses eventos para que chegue até os produtores rurais, e assim comecem a aplicar na sua unidade produtiva a tecnologia”, disse, ao lado de diversas autoridades ligadas ao setor do agronegócio maranhense.