Menu fechado

Senar leva ação de saúde a comunidades Indígenas de Grajaú

Print Friendly, PDF & Email
Homens indígenas e equipe de trabalho, em Bacurizinho, Grajaú

O Senar, o Sindicato dos Produtores Rurais de Grajaú e a prefeitura municipal, levaram à aldeia Bacurizinho em Grajaú, os programas Saúde do Homem e Saúde da Mulher. A ação ocorreu na escola Cacique Raimundo Lopes e atendeu dezenas de pessoas, dentre homens e mulheres que se submeteram aos exames de próstata (homens) e colo do útero (mulheres).
Outros serviços também foram oferecidos na oportunidade. Consultas médicas e exames rápidos de glicemia e vacinação para crianças, movimentaram a escola que recebeu toda a equipe envolvida e convidados em um clima de confraternização, com cantoria e danças típicas dos povos indígenas da região.
Atividades de embelezamento com corte e escova para cabelos e entrega de kit contendo produtos de higiene e beleza, fez a alegria de casa um que passava pelos atendimentos.
As crianças indígenas também participaram da ação. Eles receberam atenção especial do Dsei – Distrito Sanitário Especial Indígena, que apoiou a iniciativa e levou atendimento odontológico aos pequenos. Ainda na programação, houve brincadeiras, entrega de escovas e lanches.

Saneamento

Crianças indígenas durante atividades lúdicas e atendimento odontológico

Médicos, enfermeiras, dentistas, assistente social, agentes indígenas de saúde, auxiliar de saúde bucal, agentes indígenas de saneamento, auxiliar de saúde bucal, professores, dentre outros, integraram a equipe multidisciplinar que realizou o evento no povoado, juntamente com a equipe do Senar
O movimento teve início logo cedo com solenidade de abertura dos trabalhos, tendo à frente a superintendente de Assuntos Indígenas da prefeitura de Grajaú, Alessandra Bento Guajajaras, que conduziu o cerimonial.
Na mesa, participaram a coordenadora de Programas Especiais e Promoção Social do Senar, Yolanda Gomes e a pedagoga, Leonor Viana, o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Grajaú, Raimundo Simas, a cacique da aldeia Bacurizinho, Iara Lopes Guajajaras, a enfermeira Jaidê Lopes, integrantes do Disei e o cacique comunidade Tamarino, Elizeu Tamarino.
A comunidade indígena Bacurizinho foi o polo escolhido para atender aos seus moradores e outras pela proximidade, como: Ipu, Tamarino e Morro Branco. De acordo com informações de Alessandra Bento, todas elas recebem atenção da prefeitura de Grajaú, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social.
Segundo ela, a superintendência foi criada com essa finalidade, uma vez que a existem um total de 134 aldeias, distribuídas nos municípios de Grajaú que possui 5.460, Jenipapo dos Vieiras, com 840 e Itaipava de Grajaú,1.200. Os moradores de Bacurizinho, vivem basicamente da produção e farinha de mandioca e artesanato.
Os programas Saúde do Homem e Saúde da Mulher Rural, abrem um leque de oportunidades que as lideranças buscam levar para os moradores, com capacitações pertinentes aos indígenas da região, de onde eles possam tirar renda para a sua melhoria de vida.

Ações de saúde

Consultas foram realizadas no espaço escolar da aldeia.

“O Senar tem realizado vários treinamentos em aldeias indígenas, e pela primeira vez realiza o Programa de Saúde do Homem e da mulher Rural, com a participação de índios de várias aldeias. Várias ações da área de saúde têm sido feitas, visando a prevenção do câncer de próstata e de colo do útero, ultrapassando a nossa meta de atendimento. Para que esse trabalho seja realizado a contento, contamos com vários parceiros para atingir o nosso objetivo”, ressaltou Yolanda, satisfeita com o resultado do trabalho.
O dirigente sindical de Grajaú, Raimundo Simas, lembra que os indígenas precisam de atenção básica e a atuação do Senar no local, só cria mais perspectivas de um futuro melhor aos povos indígenas.

Yolanda Gomes entrega kit de higiene e beleza para mãe indígena

“Estou muito feliz com essa ação onde a Faema e o Senar estão presentes. Precisamos trazer cursos e programas para que os indígenas possam melhorar tanto na saúde quanto em dignidade, para viver mais e melhor”, frisou o produtor rural, lembrando que a solicitação para a realização dos programas, veio da própria aldeia.
A cacique Iara Lopes destacou a iniciativa e falou da sua importância para a comunidade, “principalmente para os nossos homens. Então, temos somente que agradecer ao Senar e aos parceiros. E que com certeza, daqui para a frente esperamos mais ações como essa”, disse ela, agradecida.
A professora Alessandra Guajajaras, responsável por levar os programas de saúde do Senar ao local, disse que a ação de saúde, veio consolidar um anseio das equipes multidisciplinares de Saúde Indígena do Polo Base de Grajaú e dos indígena que são atendidos por estas equipes.

Idosos indígenas recebem kit após atendimento

Alessandra lembra que nas comunidades indígenas, os homens têm dificuldades de buscarem atendimento nos postos de saúde, e quando a equipe visita suas residências, eles não relatam o que sentem e nem demonstram interesse em realizar algum tipo de consulta ou exames, em especial, o de próstata.
“A ação veio com uma nova dinâmica e fez com que eles se sentissem à vontade no sentido de aderir ao exame, pois tomaram conhecimento de que existem outras formas para diagnóstico da doença. Nesse sentido, cabe ressaltar a relevância do Senar para com este evento, uma vez que conseguiu despertar neles, a importância do cuidado para com a saúde”, finalizou ela.

Mulheres indígenas aguardam atendimento.