Menu fechado

Senar capacita instrutores do Negócio Certo Rural

Print Friendly, PDF & Email

.

09_07a
Instrutores são capacitados pelo Senar Central.

Foi iniciada nesta quinta, (09),  no hotel Premier, (São Luís), capacitação envolvendo 27 instrutores do programa Negócio Certo Rural, (NCR), desenvolvido pelo Senar, (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural), em parceria com o Sebrae, (Serviço Brasileiro de Pequenas e Micro Empresas).

O curso é  ministrado pela assessora técnica do Senar Central, (Brasília), Thaís Carranzza, e pelo multiplicador do NCR no Paraná, Gumercindo Fernandes. O objetivo deste encontro com os instrutores do NCR é fazer a atualização metodológica  com os instrutores que já atuam no programa.

O NCR é um programa  que  visa melhorar a gestão da pequena propriedade rural com ações de diagnóstico, plano de desenvolvimento e capacitação do produtor rural e de sua família, preparando-os para gerenciar a propriedade de forma lucrativa, competitiva e sustentável. Ele está presente em todos os estados brasileiros e o número de turmas varia de acordo com a demanda de cada estado

Propriedade

Ele  é voltado para pequenos produtores rurais e suas famílias. Com ferramentas simples de gestão eles aprendem a desenvolver e melhor administrar a pequena propriedade rural onde trabalham. No Maranhão, somente este ano, estão previstas sessenta turmas de NCR. Destas, poderão participar duas pessoas de cada propriedade. O NCR está ligado diretamente a aos programas: Assistência Técnica, (Ater), Sertão Empreendedor e  Mapito.

O curso de NCR tem carga horária de 46 horas, sendo  duas delas de consultoria na sala de aula e quatro,  de consultoria na propriedade (de forma individual). O NCR também é oferecido na modalidade à distância, por meio do  portal EaD-Senar e atualmente é também pré-requisito para  outros programas da área tecnológica, visto a importância e o sucesso  da atividade.

“O NCR ajuda o produtor a administrar o seu negócio Para desenvolvê-lo é construído um plano de negócios  tendo por base a sua atividade rural ou uma nova atividade”, disse Carranzza, destacando mudanças nos critérios de participação.

“O que pode ser destacado aqui é o critério de escolaridade. Neste novo processo só poderá participar o produtor que for alfabetizado”, disse  afirmando ser essa medida fundamental para que haja melhoria em sua efetividade.