Menu fechado

Produtores de Pedreiras são capacitados para receber assistência técnica do Senar

Print Friendly, PDF & Email

.

Epitácio Rocha, da ATeG, com a presidente do Sindicato, Rosemeire Freitas, produtores  e parceiros.
Epitácio Rocha, da Assistência Técnica e Gerencial, com a presidente do Sindicato, Rosemeire Freitas, produtores  e parceiros.

Mais uma turma de produtores rurais é capacitada pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), por meio do programa ABC Cerrado, na tecnologia Recuperação de Pastagens Degradadas. Trata-se de um grupo de 34 produtores dos municípios de Pedreiras e Trizidela do Vale, que encerraram suas aulas  na semana passada. A solenidade contou ainda com a entrega de um kit instrucional contendo diversos itens, para a utilização durante a aprendizagem teórica e prática da assistência técnica.

O ato foi comandado pelo gerente de Assistência Técnica e Gerencial do Senar  Epitácio Rocha, na presença da presidente do Sindicato Rural de Pedreiras Rosemeire Freitas, do secretário-adjunto da Sagrima Émerson Macêdo, do secretário municipal de Agricultura de Pedreiras Leônidas Castro, dos técnicos do Senar Aline Saldanha, Rozalino Aguiar, Daniela Sales e de outros convidados.

Representantes do sistema Faema/Senar com produtores rurais e parceiros.
Representantes do sistema Faema/Senar com produtores rurais e parceiros.

Durante quatro meses os produtores receberam orientações do instrutor da entidade Antônio Lobo, acerca da adoção das tecnologias de exploração agropecuária de forma sustentáveis, contribuindo para o aumento de renda do produtor rural e da redução da emissão de gases do efeito estufa.

Degradação

De acordo com estudos da Embrapa, parceira do programa, mais da metade das pastagens localizadas no cerrado brasileiro podem estar em algum estágio de degradação. São 32 milhões de hectares onde a qualidade do pasto está abaixo do esperado, comprometendo a produtividade e gerando prejuízos econômicos e ambientais. A estatal afirma ainda que,  a recuperação poderia ajudar até a triplicar a produção de carne nessas áreas, ou contribuir para a expansão da agricultura, além de reduzir, em menor escala, as emissões de gases do efeito estufa.

No Maranhão, a realidade não é diferente. A deficiência de nutrientes no solo é visível, segundo o instrutor Antônio Lobo, responsável pela turma de Pedreiras. Ele explica que a razão para o empobrecimento do solo está relacionada à perda de vigor, produtividade, qualidade, infestação com invasoras, pragas e doenças e erosão de solo.

Ainda, segundo o instrutor,  a capacitação do produtor tem o caráter de mostrar as complicações decorrentes da degradação do solo, incidentes sobre a exploração do animal, por exemplo: redução do escore corporal, redução da capacidade de suporte para forrageiro, redução da taxa de lotação por unidade de pasto e de produtividade, culminando com a baixa rentabilidade  do empreendimento.

“Pedreiras tem uma pecuária forte. Mas, a degradação do solo é uma realidade na região, assim como em todo o estado, e a capacitação serve para mostrar ao produtor a necessidade de ser dispensado um tratamento adequado à sua propriedade”, disse o instrutor.

Epitácio Rocha,  disse que o produtor rural é a figura mais importante da Federação de Agricultura e do Senar e por esse motivo é necessário capacitá-lo para produzir, respeitando as técnicas de sustentabilidade.

“Fico feliz com o resultado que estamos vendo aqui. Todos satisfeitos e com conhecimento suficiente para implementar as técnicas de recuperação de pastagens degradadas em suas propriedades. Nós, da Faema e do Senar, trabalhamos todos os dias para que as ações exploratórias do setor rural deem certo. Dando certo para o produtor, também dará para o Senar  que é a sua casa”, frisou o gerente de Assistência Técnica e Gerencial., ao destacar o rol de programas e ações desenvolvidas pelo Senar.