Menu fechado

Produtores de milho recebem orientação no combate à “lagarta do cartucho”

Print Friendly, PDF & Email

O setor de sanidade vegetal da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged), em Açailândia, está orientando produtores de milho da região sobre formas de prevenção e controle da praga Spodopterafrugiperda, conhecida popularmente como lagarta do cartucho.

A presença da lagarta em lavouras do grão na Região Sudeste do Maranhão foi identificada durante atividades de monitoramento de pragas de importância econômica realizadas rotineiramente pela equipe de fiscais da Aged.

Segundo o fiscal agropecuário Josué Mendes Neto, esse inseto é considerado a principal praga da cultura do milho no Brasil. O ataque na planta ocorre desde a sua emergência até o pendoamento e espigamento. As perdas, devido ao ataque da lagarta podem reduzir a produção em até 34%.

No início do ataque, as lagartas raspam as folhas deixando áreas transparentes, e, com seu desenvolvimento, o inseto instala-se no chamado cartucho da planta, destruindo-o.

Dentre as orientações ao produtor que sofre com o problema, os técnicos indicam o tratamento de sementes, quando na fase inicial de desenvolvimento da plana, e medidas de controle químico em lavouras com predomínio de lagartas pequenas em até 15% da lavoura com sintomas de folhas raspadas. “Além disso, recomendamos a rotação de produtos de diferentes grupos químicos em cada aplicação e a preferência por inseticidas de menor impacto ambiental e adequados à cultura. A utilização do Milho Bt (milho transgênico), deve ser feita com muito critério e responsabilidade, mantendo 10% de áreas de refúgio como estratégia de manejo da resistência da lagarta-do-cartucho à toxina Bt. Esta área denominada de refúgio, será aquela plantada com milho convencional”, orientou o fiscal.

 

Fonte: Sagrima/Aged