Menu fechado

Produtores assistidos pelo Senar aumentam produção com aplicação de sistema integrado

Print Friendly, PDF & Email
DSC04191
Reginaldo Vieira recebe assistência técnica da equipe do Senar.

Centenas de produtores rurais das regionais de Colinas, Barão de Grajaú e Presidente Dutra, participam deste o ano passado, do sistema de Assistência Técnica e Extensão Rural com Meritocracia, desenvolvido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, (Senar), em parceria com o Sebrae Nacional,  desenvolvido nos estados do Maranhão, (MA), Piauí,(PI), e Tocantins, (PI).

Em caráter experimental nestes três estados e com vistas a se incorporar nos demais -, o  Mapito, consiste na contratação  e treinamento de técnicos agrícolas para atender aos agricultores nas cadeias produtivas de pecuária leiteira, apicultura e piscicultura. Um dos principais objetivos do projeto é  aumentar a rentabilidade, (em 8% a renda bruta), e incentivar o empreendedorismo entre os participantes.

Integrações IPLF

Exemplos de  que o Mapito vem dando certo,  desde a sua implantação  é o caso do produtor rrual, Hilton Coelho.  Visando a expansão de seus negócios e maior lucratividade, o produtor rural implantou em sua propriedade as integrações ILPF, (lavoura, pecuária e floresta). Embora já o praticasse há alguns anos, o produtor rural, disse ter dinamizado as suas ações com a técnica e o acompanhamento da equipe do projeto.

O ILPF permite a recuperação da área de pastagens degradadas agregando na mesma propriedade, diferentes sistemas produtivos, como os de grãos, fibras, carne, leite e energia. Busca melhorar  a fertilidade do solo com aplicação de técnicas  e sistemas de plantio adequados para a otimização e a intensificação de seu uso.

Localizado no município de Fortuna, a  356 km de São Luis e na abrangência da regional de Colinas, o empreendimento de Hilton, explora as  seguintes  atividades: criação de gado de corte e, plantação de milho, abóbora e feijão, em uma área de aproximadamente de 50 hectares, onde ele reveza anualmente para recuperação de pastagem.

20_04“Em três anos faço esse experimento. No primeiro ano de implantação consorciei com abóbora, segundo ano com feijão e terceiro com a braquiaria ruziensis já pronto para pastejo do gado de pequeno porte como, bezerros”, disse ele, afirmando que a  renda das culturas (abóbora e feijão), pagaram os custos de implantação do vinhático, (regionalmente conhecida como candeia).

Coelho vai além e revela que em sete anos pretende colher as primeiras estacas ou mourão para cerca. Afirma que a  madeira tem outras utilidades, como a confecção de móveis finos com alta valorização no mercado.

“Quero uma propriedade sustentável. Por isso, nada melhor que a aplicação das integrações ILPF, que tem se destacado em propriedades rurais do país inteiro”, afirmou.

Capacitação Senar

Quem comemora também a prática do IPLF é o produtor Reginaldo Vieira Sousa. Ele conta que há cerca de dez anos trabalha com as integrações em uma área de 100 hectares.  Revela que no decorrer desse tempo, se capacitou por meio de cursos oferecidos pelo Senar, e que atualmente mantêm em sua propriedade, um número razoável de cabeças de gado, ao mesmo tempo em que cultiva milho e outras  e outras plantas frutíferas.

”O sistema termina em um projeto de sustentabilidade pautado no economicamente viável, no ambientalmente correto e no socialmente justo”, destacou Vieira Sousa, ao tempo que acrescenta ser essa alternativa essencial para a geração de emprego e renda em toda a cadeia, tanto no campo, na indústria, quanto no comércio.

“Entendo que a assistência técnica por meio do Mapito com as suas cadeias produtivas, veio mudar a realidade dos produtores das regionais atendidas”, disse o produtor rural, satisfeito com o investimento.