Menu fechado

Presidente da Faema participa de seminário sobre Matopiba em Tocantins

Print Friendly, PDF & Email
Ministra da Agricultura Kátia Abreu na abertura do seminário  em Tocantins, sobre investimentos nos estados do Matopiba.
Ministra da Agricultura Kátia Abreu na abertura do seminário  em Tocantins, sobre investimentos nos estados do Matopiba.

O presidente da Federação de Agricultura e Pecuária  do Maranhão, (Faema), Raimundo Coelho, integrou comitiva maranhense que participou no início desta semana, em Palmas, (TO),  do seminário “Diálogo  Empresarial Brasil- Japão:  intercâmbio Econômico e Comercial em Agricultura e Alimentos”, para investimentos nos estados do  Matopiba.

Raimundo Coelho da Faema integra comitiva maranhense em seminário sobre o Matopiba.
Raimundo Coelho da Faema integra comitiva maranhense em seminário sobre o Matopiba.

Na ocasião foi assinado acordo  de cooperação entre Brasil e Japão  que vai permitir investimentos dos japoneses na região do Matopiba, nova fronteira agrícola formada por partes do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia que e se destaca pela produção de soja, milho e algodão.

O evento contou com a presença da ministra da Agricultura, Kátia Abreu e o vice-ministro de Assuntos Internacionais do Ministério da Agricultura, Florestas e Pesca do Japão, Hiromichi Matsushima. Além de Raimundo Coelho da Faema, representaram o  Maranhão o governador Flávio Dino e os secretários da Agricultura,  Márcio Honaiser e da Indústria e Comércio, Simplício Araújo, além do presidente da Emap, Ted Lago. Também estavam os governadores do Tocantins, Marcelo Miranda e do Piauí, Wellington Dias e o vice-governador da Bahia, João Leão.

Grãos

Após a abertura, foi proferida palestra pela ministra Kátia Abreu que, na oportunidade falou do interesse do governo brasileiro em desenvolver prioritariamente a região do Matopiba que representa cerca de 10% da produção nacional de grãos, onde se destaca significativa área agriculturável para a expansão das atividades agropecuárias, especialmente terras de pastagens degradadas.

A ministra convocou a todos os governos presentes para priorizar a exploração sustentável econômico, social e ambientalmente, como plantio direto na planta, ILPF, (integração, lavoura, pecuária e floresta), florestas plantadas e recuperação de pastagens. Ela mostrou ainda  que há interesse do governo federal por investimentos em logística de produção, expansão da rede de energia, expansão de rodovias e de rede de ferrovias e hidrovias.

A delegação do Japão por meio do  vice-ministro e do embaixador do Brasil no Japão, relataram sucessivos investimentos no país desde o acolhimento de imigrantes japoneses e que na região dos cerrados brasileiros, atuaram nas últimas décadas com o programa Prodecer que facilitou o desenvolvimento da produção de grão no cerrado brasileiro e que agora visa a segurança alimentar da nação japonesa pretende financiar a infraestrutura e logística dessa mesma região para o escoamento dos produtos agropecuários.

Como atua o Matopiba

A região do “Matopiba”, formada por 73 milhões de hectares distribuídos pelos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, produziu 9,4% das 209,5 milhões de toneladas de grãos na safra 2014/2015. O Matopiba foi responsável por 19,7 milhões de toneladas de algodão em pluma, soja, arroz e milho, em uma área de 5,7 milhões de hectares. A região conta com quase 6 milhões de habitantes e 324 mil estabelecimentos agrícolas. Somente na soja, o Matopiba produziu 8,7 milhões de toneladas de soja 2013/2014.

Com tamanha produção, o Matopiba reforça sua posição como nova fronteira agrícola do País. De acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), mais 10 milhões de hectares podem ser incorporados à área plantada. Atualmente, a área engloba 337 municípios distribuídos em 73 milhões de hectares.