Menu fechado

Faema e Senar promovem cadastramento Ambiental rural em São Luís

Print Friendly, PDF & Email
Equipe da Faema/Senar treina técnicos que atuam nas áreas rurais de São Luís.
Equipe da Faema/Senar treina técnicos que atuam nas áreas rurais de São Luís.

Foi realizado no início desta semana, na sede da  Faema/Senar e no  Iterma, (Instituto de Colonização e Terras do Estado do Maranhão) – treinamento  sobre o Cadastramento Ambiental Rural, (CAR), voltado para técnicos agrícolas, agrônomos e demais profissionais ligados ao setor rural.

Nesta edição, a equipe do sistema Faema/Senar, atendeu os técnicos de órgãos estaduais ligados ao setor rural, e que por sua vez, acompanham os produtores da capital, São Luís.

A capacitação integra o programa do CAR e faz parte da parceria firmada entre a Faema/Senar, e o governo estadual por meio da secretaria de Meio Ambiente, (Sema),  para técnicos que atuam na assistência técnica de produtores rurais de todo o estado. O curso é composto por aulas teóricas e práticas, com orientação sobre   preservação do meio ambiente, técnicas de proteção das margens dos rios e  florestas.  A parte  digital  do treinamento, utiliza a ferramenta geo, que delimita a propriedade por meio de imagens via satélite.

Mesmo com o anúncio  feito pelo governo federal, da prorrogação por um ano, do cadastramento, a Faema/Senar, não paralisou suas atividades e tem envidado esforços para atender o maior número de produtores rurais possível em todos os municípios maranhenses, principalmente daqueles que se encontram filiados aos sindicatos parceiros destas instituições.

O que é o CAR

O registro no Cadastro Ambiental Rural (CAR), criado pela lei do Código Florestal (Lei 12.651/2012), é obrigatório para todos os imóveis rurais do país. No sistema, os proprietários devem declarar as informações ambientais de suas propriedades rurais. Sua finalidade é integrar as informações ambientais referentes às situações das Áreas de Preservação Permanente – APP, das Áreas de Reserva Legal, (ARL), das florestas e dos remanescentes  de vegetação nativa, das áreas de uso restrito e das áreas consolidadas das propriedades e posses rurais do país.

Ferramenta importante para auxiliar no planejamento do imóvel rural e na recuperação de áreas degradadas. Fomenta a formação de corredores ecológicos e a conservação dos demais recursos naturais, contribuindo para a melhoria da qualidade ambiental e do ordenamento das atividades agrossilvipastoris, sendo, atualmente, utilizado para esse fim pelos governos estadual e federal.