Menu fechado

Embrapa e Senar realizam curso para melhorar produção agrícola nas áreas dependentes de chuva

Print Friendly, PDF & Email
Técnicos em visita a plantio com água de chuva
Técnicos em visita a plantio com água de chuva

Palestra sobre a caracterização do bioma Caatinga, acompanhada de visita à trilha ecológica, deu início ao XV Curso Novo Enfoque Tecnológico de Convivência com o Semiárido (de 18 a 22/11), ministrado por pesquisadores da Embrapa em Petrolina-PE para 38 técnicos e instrutores do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).

O evento é fruto da cooperação entre as duas instituições e que foi intensificada durante este ano para apoiar os agricultores a estruturarem seus sistemas produtivos e deixarem de ser afetados tão intensamente nos períodos de seca. O curso objetivou capacitar técnicos e instrutores que atuam no programa “Sertão Empreendedor: um novo tempo para o semiárido”, do Senar.

Do Senar-Ma participaram os engenheiros agrônomos Nicolau Barros, Coordenador Estadual do Programa e os instrutores, Francisco Furtado Neves e Domingos Ericeira.

Segundo Adriana Aires Macedo, Assessora Técnica do Departamento de Inovação e Conhecimento do Senar, o programa está organizado para promover a sustentabilidade dos empreendimentos rurais nas áreas secas do Nordeste. O curso prepara os técnicos e instrutores para fomentar a inovação, o empreendedorismo e apoiar a disseminação de tecnologias sociais de produção e das boas práticas de convivência com o semiárido.

Técnicos e instrutores são vinculados ao Senar nos estados do Nordeste. Dentre eles, gestores, engenheiros agrônomos, zootecnistas, veterinários, especialistas em mecanização agrícola e em gestão ambiental.

Essa diversidade de profissionais é bom para um curso, que trata de captação de água de chuva, potencial frutífero de plantas nativas, agricultura biosalina, forrageiras introduzidas, solos e apicultura. Ela favorece a integração de estratégias entre a Embrapa e o Senar, que atuam juntos aos agricultores e seus sistemas de produção.

Os 38 técnicos e instrutores são multiplicadores com experiência em formar e capacitar agricultores. A atuação conjunta das duas instituições aproxima da Embrapa um corpo de profissionais capaz de acelerar a apropriação por parte dos agricultores dos conhecimentos e tecnologias gerados pela pesquisa e promover novas dinâmicas produtivas nos sistemas agrícolas das áreas dependentes de chuva da região Nordeste.

Para Adriana Macedo, com o programa “Sertão Empreendedor” o Senar busca também promover mudanças no comportamento do agricultor.