Menu fechado

Centro Espacial: Entidades empresariais visitam Alcântara para conhecer potencialidades e planejar ações

Print Friendly, PDF & Email

ALCÂNTARA – Durante os dias 2 e 3 de março, uma equipe de técnicos das entidades empresariais que compõem o Grupo de Trabalho da FIEMA, “Pensar o Maranhão” realizaram uma visita técnica à Alcântara. O objetivo foi conhecer “in loco” as potencialidades da cidade e da região e alinhar a contribuição desses atores da iniciativa privada na construção do Programa de Desenvolvimento Integrado para o Centro Espacial de Alcântara (PDI/CEA).

A participação da iniciativa privada visa inserir a sociedade maranhense no CEA, via projetos e ações direcionadas ao desenvolvimento social, econômico e de infraestrutura da região. A inclusão das contribuições das entidades empresariais e do poder público maranhense no PDI/CEA foi um dos pleitos do Grupo de Trabalho da FIEMA, “Pensar o Maranhão”.

PROGRAMAÇÃO – A agenda da comitiva iniciou com uma Roda de Conversa com o prefeito Padre William Guimarães da Silva (PL), e os vereadores que compõem a Câmara Municipal, presidida pelo vereador Guterres Filho. “Queremos que as organizações mostrem que são colaboradores desse município e que as condições disponibilizadas por vocês possam ser compartilhadas conosco. O CEA tem mostrado um esforço de estender a mão para a gestão pública, principalmente para a comunidade. Nós temos, em Alcântara, 204 povoados, uma extensão grande, acesso precário e condições sociais e de desenvolvimento difíceis. Em nome de Alcântara, estamos de braços abertos e pedindo a ajuda de vocês”, destacou o prefeito William.

Os diretores da FIEMA Fábio Nahuz e Antônio Rosa acompanharam toda a visita. Fábio Nahuz se disponibilizou a auxiliar a Prefeitura na atualizar do Plano Diretor e lei de uso e ocupação de solo. “Temos consultores que podem ajudar nesse processo. É fundamental que agora, a Prefeitura e a Câmara Municipal façam isso para evitar problemas futuros”, enfatizou Nahuz.

Antônio Rosa que é natural de Alcântara e sempre foi um entusiasta da ação do Sistema S na região, se diz satisfeito com a visita. “Acho que esse é um primeiro passo de uma caminhada vitoriosa que vai trazer grandes benefícios para o Alcântarense”, disse o diretor.

Segundo o superintendente da FIEMA, César Miranda, a visita técnica teve foco, especialmente, em ouvir as demandas da comunidade e do poder legislativo. “Viemos conhecer as potencialidades da cidade e da região e alinhar como cada membro do Grupo de Trabalho ‘Pensar o Maranhão’ planeja contribuir, com ações concretas, na construção do Programa de Desenvolvimento Integrado para o Centro Espacial de Alcântara (PDI/CEA)”, destacou.

Além da prefeitura, a equipe técnica realizou um tour empresarial, onde conheceu o Polo de Artesanato de Santa Maria, onde o cultivo de melancia, a piscicultura e o trabalho manual com a fibra do buriti têm gerado renda e novas oportunidades. Além de Santa Maria, a equipe conheceu a agrovila quilombola do Cajueiro e conversou com pais, professores e jovens do povoado que buscam uma qualificação e capacitação para entrar no mercado de trabalho.

“Estou muito satisfeito com a vinda de vocês. Sou morador antigo do Cajueiro e fico feliz de ver as propostas que vocês trazem para os jovens. A necessidade de estudar e fazer cursos para aproveitar e crescer”, destacou o agricultor Porfílio Silva, de 75 anos.

A equipe também conversou com empresários locais da área de alimentação e da construção civil e ouviu as principais demandas dos setores, que também passam pela qualificação profissional. “Nós sentimos uma dificuldade grande de encontrar mão-de-obra local especializada no setor de construção civil. Atuamos prestando serviços para o CEA há alguns anos e essa visita aqui nos enche de esperança por saber da seriedade das entidades do Sistema S e que podemos contar com vocês para mudar essa nossa realidade”, destacou o empresário José Abreu, diretor executivo da Espacial Tecnologia e Construção.

Sara Raquel, 15, neta de lavrador e quebradeira de coco, também fez referência à visita. “Gostei da reunião, por falar de oportunidades de cursos que podemos ter na comunidade e, hoje, qualquer oportunidade é muito bem-vinda”.

MEDIDAS CONCRETAS – Como parte das ações concretas da visita, o superintendente regional do SESI, Diogo Lima, apresentou à Prefeitura e à Câmara Municipal, o projeto de construção do Polo Avançado do SESI em Alcântara, que está à espera da doação do terreno para se iniciar o processo de instalação.

“O polo atuará nas áreas de Educação de Jovens e Adultos e a Medicina Laboral, para que se possa permitir a implantação de empresas provendo mão-de-obra capacitada e todas as exigências legais para que as empresas se instalem e funcionem no município. Também funcionará como uma espécie de QG para todas as entidades que já se antecipam ao desenvolvimento que se anuncia para a cidade”, enfatizou Diogo.

Já o SENAI, representado pelo coordenador de Educação Profissional, Tecnologia e Inovação, Rogerio Garcês, no mapeamento prévio, destacou que a entidade planeja realizar capacitações na área da construção civil nos povoados, utilizando kits e unidades móveis para a formação de pedreiro, instalador hidráulico, eletricista, armador de ferragem e auxiliar de obras. Já na sede do município, cursos na área de mecânica de motocicletas e vestuário para fardamentos poderão ser ofertados.

O gerente técnico do Senar, Carlos Antônio Feitosa de Sá, garantiu, na oportunidade, levar ações de capacitação aos produtores rurais, por meio dos programas de Formação Profissional Rural (FPR) e Promoção Social (PS). “Durante as visitas, pude observar as potencialidades, indagar as culturas de trabalho e a organização comunitária. Estudaremos a inclusão dos programas Agro Nordeste e Negócio Certo Rural (NCR). Nossa meta é retornar à Alcântara, reunir com a agricultura do município e todas as lideranças do setor para organizar um plano de desenvolvimento do setor rural, usando tecnologia e inovação”, destaca Carlos Feitosa.

Max de Medeiros, superintendente da Fecomércio, também analisou as possibilidades de atuação da entidade. “Observamos vocações das comunidades para áreas como a confeitaria e alimentação de um modo geral, artesanato, serviços de beleza, além da necessidade por aperfeiçoamento em informática e marketing digital. Podemos atuar nessas demandas por meio do Senac. Vamos além, com ações sociais inclusivas como o desenvolvimento do turismo social e a formação de agentes culturais para a valorização do patrimônio imaterial da região por meio de programas do Sesc”, afirma.

Já o Sebrae deu início às ações do Programa Cidade Empreendedora durante a missão técnica em Alcântara, com a assinatura do termo de adesão pelo prefeito Padre William da Silva (PL), em solenidade realizada na Câmara dos Vereadores, na última quarta-feira, 03.

“Por meio da execução do programa Cidade Empreendedora traremos soluções voltadas para dinamizar a economia local, centrando no fortalecimento de vocações produtivas de Alcântara, como o turismo, o artesanato e a agricultura familiar, além da educação empreendedora, e várias outras soluções de gestão pública, desburocratização e acesso a mercado. Essa é uma de nossas entregas ao município, como entidade integrante do Grupo de Trabalho ‘Pensar o Maranhão’, dentro de nossas propostas no Plano de Desenvolvimento Integrado (PDI) do Centro Espacial de Alcântara e que, com toda certeza, trará uma série de benefícios para a população alcântarense, gerando um ambiente mais propício para que todo esse mapeamento feito durante esses dois dias da missão técnica, juntamente com as demais entidades do sistema S, se concretize em um futuro breve”, explicita o diretor superintendente do Sebrae estadual, Albertino Leal.

AVALIAÇÃO – “A visita técnica do GT ‘Pensar o Maranhão’ foi de grande valia para a região de Alcântara e para o programa de desenvolvimento integrado do CEA. A Agência Espacial Brasileira é membro do GT e está alinhada com as entidades no que tange ao desenvolvimento e ao plano socioeconômico para o município. O CEA é um vetor para o desenvolvimento regional e essa parceria com as entidades e instituições servirá para alavancarmos a capacidade espacial do Brasil através do Programa Espacial Brasileiro, trazendo inúmeros benefícios para a região”, destacou a coordenadora regional da AEB no Maranhão, Thaís Durans Abreu.

Para o vice-presidente para assuntos de Comércio, Indústria e Serviço da Associação Comercial do Maranhão (ACM) e diretor da FIEMA, Pedro Robson de Holanda, “a missão foi de vital importância para juntas as entidades do Sistema S em uma ação só. A ACM já começou um trabalho para equipar as Associações Locais e essa é uma meta também em Alcântara. A recepção foi muito boa. A nossa visão geral é que todas as entidades fizeram um grande trabalho e Alcântara só tem a ganhar e se preparar para quando chegar o desenvolvimento”.

 

Fonte: Ascom Fiema