Menu fechado

Alunos do Pronatec são certificados pelo Senar em evento na Fiema

Print Friendly, PDF & Email
Valdilene Ferreira, formanda do Curso Piscicultor pelo Senar, com Carlos Antônio Feitosa e o Governador Flávio Dino.
Valdilene Ferreira, formanda do Curso Piscicultor pelo Senar, com Carlos Antônio Feitosa e o Governador Flávio Dino.

Sessenta alunos do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, (Senar), matriculados em cursos profissionalizantes do Pronatec receberam certificação das mãos do Governador Flávio Dino e da ministra do Desenvolvimento Social e Combate a Fome, Tereza Campelo na tarde desta quinta-feira, (03), na sede da Fiema. Destaque para a formanda Valdilene Ferreira, moradora da comunidade Taim, (São Luís), que prestou juramento ao receber certificado do curso de piscicultor.

O evento realizado pela secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) teve como anfitrião, o secretário Neto Evangelista que ao abrir o encontro destacou o papel do Pronatec, “capacitar e certificar o aluno e por fim, encaminhá-lo para o mercado de trabalho”.

Prestigiaram o evento, secretários estaduais, municipais, representantes do Sistema “S”, (Senac, Sesi, Senai e Fiema), representantes das prefeituras de São Luís, Paço do Lumiar, Raposa e São José de Ribamar. Também participaram deputados estaduais, professores e outras lideranças políticas e governamentais. Do Senar, participou o Gerente de Qualificação Profissional, Carlos Antônio Feitosa de Sá. Presentes ainda, alunos do Senar – moradores das comunidades, Taim, São João do Rosário, Providência, São Simão e Itamirim, (Rosário).

Oportunidades

O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) foi criado pelo Governo Federal, em 2011, por meio da Lei 11.513/2011, com o objetivo de expandir, interiorizar e democratizar a oferta de cursos de educação profissional e tecnológica no país, além de contribuir para a melhoria da qualidade do ensino médio público.

O Pronatec busca ampliar as oportunidades educacionais e de formação profissional qualificada aos jovens, trabalhadores e beneficiários de programas de transferência de renda. Os cursos, financiados pelo Governo Federal, são ofertados de forma gratuita por instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica e das redes estaduais, distritais e municipais de educação profissional e tecnológica. Também são ofertantes as instituições do Sistema “S”, como o Senar. Esta instituição desenvolve atividades em quase todos os municípios maranhenses desde 1992, com cursos de qualificação nas áreas de piscicultura, olericultura, avicultura, bovinocultura, horticultura, fruticultura dentre outros. Desde 1992, o Senar tem ajudado a elevar a qualidade de vida de produtores rurais. São atendidos pela instituição, vários municípios com cursos aplicados de acordo com a vocação de cada um.

A ministra Tereza Campelo em seu discurso fez questão de ressaltar a competência do Governo Federal na aplicação do Pronatec para os trabalhadores brasileiros. Parabenizou a participação da mulher neste processo e falou do investimento feito pelo Governo em prol da educação profissional no Brasil.

“É uma vitória do Sistema “S”. É uma vitória do Brasil. Precisamos investir em educação”, disse ela, atentando para a participação das mulheres em funções antes ocupadas eminentemente por homens.

O governador Flávio Dino falou da importância da qualificação profissional não somente para jovens, mas também para trabalhadores de todas as áreas. Exemplificou com o trabalho exitoso de piscicultores do povoado Itans, (Matinha), e disse estar satisfeito com a parceria desenvolvida com o sistema “S”.

“Este é um belo momento coletivo, onde se vê mais oportunidade para termos um Maranhão melhor”, afirmou o governador.

Para o Carlos Antônio Feitosa de Sá, o Senar vem desenvolvendo com sucesso o seu trabalho, que é qualificar pessoas do meio rural para que haja inclusão social, conforme determina o Programa.

“O Senar se orgulha de poder participar de um programa tão importante para o Brasil e para o Maranhão, onde trabalhadores são qualificados para adentrar o mundo do mercado de trabalho com maior segurança e perspectiva”, ressaltou Feitosa.

É o que almeja Valdilene Ferreira, formanda do curso de piscicultor, juntamente com outras dez mulheres moradoras de Taim. “Trabalhava no comércio, e vi a oportunidade que o Senar estava oferecendo, daí resolvi investi”, disse ela satisfeita, enquanto assegura ser esta iniciativa apenas a primeira de muitas que virão em sua vida.